Comprei o livro já sabendo que estava fazendo bom investimento.

Para início de conversa, Direito Financeiro, penso, deveria ser matéria já desde ensino fundamental, posto que seu conhecimento é requisito para a própria cidadania.

Temos a maior atenção em como gastamos nossos ganhos em nossas casas, mas não ligamos como o Estado gasta o dinheiro público. Assim, ler o livro do Carlos não apenas forma o acadêmico de direito, mas nos ajuda a ser menos alienados.

Hoje o Carlos Alberto lança o livro dele “Curso de Direito Financeiro”, na Saraiva do manauara. Fico feliz por vários motivos. Primeiro porque é mais um autor da minha geração – Já desde os idos do Ida Nelson (e lá se vão 30 anos!) o Carlos já despontava pela inteligência, como assim continuou fazendo no Camões pré-vestibulares – cursou faculdade fora e assim que voltou já ingressou nos quadros da PGE, enfim, venceu pelo que sabia.

Já no primeiro livro que li dele, lá por 2005, entendi logo como funcionava a lei do ICMS aqui do Amazonas, era um livro que explicava tal assunto de forma pioneira – Sobre assuntos difíceis, poucos escrevem.

Eis que há umas duas semanas comprei o livro de Direito Financeiro do Carlos e já reaprendi essa disciplina; estava precisando mesmo.

As qualidades começam antes de abrirmos o livro: com 360 páginas já não assusta aos poucos dados a leituras, já sendo simpático à primeira vista. Ao lermos percebemos que o Carlos inicia a matéria bem antes do Direito Financeiro, nos instruindo desde a noção de Estado; de forma que quando entramos na matéria, no capítulo II, já até estamos gostando mais do assunto.

Só fui entender a Lei 4.320/64 (uma espécie de lei básica do direito financeiro) quando cursei contabilidade. Não encontrava, na minha época de acadêmico de direito livro algum que conseguisse “traduzir” aquilo para o inteligível. A obra do Carlos conseguiu. ´Monstros´ como Lei Orçamentária Anual, Plano Plurianual e Lei de Diretrizes Orçamentárias estão no livro com explicações acessíveis aos mais simples dos mortais – precisava de um livro desse na minha época de acadêmico, teria sido mais fácil entender a “4.320”.

O livro tem mais dois méritos: já nos traz pitadas de direito tributário e explica vários aspectos da Lei de Responsabilidade Fiscal (acabou me saindo duas obras por uma! Yessss!)

Fica muito claro que não é livro apenas para estudiosos do direito. Contadores e gestores públicos deviam lê-lo. Na faculdade que curso atualmente, Economia, me ajudou a entender a disciplina “Microeconomia I”.

Bem, o lançamento é hoje, como disse, na Saraiva Megastore do Manauara, começando pelas sete da noite.

Recomendo, não por ser “Livro de Um Amazonense”, não porque devemos “Prestigiar prata da cada”. Não. Recomendo porque é bom mesmo!

Compre-o. Leia-o. Consulte-o. Tenha-o. Vale!


comments (2)

  • Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho Reply

    Marcos: seu post sobre meu livro me deixou muito emocionado! Agradeço, de coração, suas gentis palavras! Elogios a um livro vindos de um autor produtivo como você tem ainda mais valor! Um grande abraço!

  • Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho Reply

    Ah, Marco… O livro sobre ICMS é de 1998 (foi meu primeiro livro). Espero poder atualizá-lo no ano que vem!

comments (2)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>