Eu já havia escrito aqui no blog que há 30 anos havia menos medo. Nos anos 80, éramos viciados em alguns ´fármacos´, ou medicamentos, que simplesmente comíamos ou tomávamos indiscriminadamente, como se fossem guloseimas!

Mastiguinha – Essas pastilhas eram azedas e, quanto mais mastigávamos mais elas se tornavam meio doce. Era algo alucinadamente gostoso. Se não tivéssemos cuidado, comeríamos o vidro inteiro. Um colega meu do Ida Nelson contou que ficou obeso depois de se viciar em Mastiquinhas, a comer um vidro por dia. Não sei se é verdade, mas que foram retiradas do mercado justamente por causarem tais efeitos, foram.

Redoxon – Era o melhor refrigerante que existia! O barulho e o cheiro gostoso daquilo nos faz lembrá-lo até hoje. Nem sei se ainda existe. O Tubo era de alumínio, branco (e não chinfrin como o de hoje). Confesso que uma vez tentei comer um pedaço sem dissolver na água, era bem docinho, e fazia cócega na língua.

Cebion – Se Redoxon era o “teen”, “refrigerante de limão”, Cebion era o “fanta”, típico gosto de refrigerante de laranja mesmo! Docinho, parecia Tang, às vezes colocávamos duas pastilhas no copo, pra ficar mais gostoso.

Pastilhas Vick – Os envelopes nos cortavam, às vezes de tirar sangue mesmo. Legal que de vez em quando vinham derretidas, ficavam mais gostosas, pena que acabavam logo (detalhe: então rasgávamos o envelopinho para lambê-lo!). Existiam na versão laranja e limão. O gosto era bem parecido.

Supra Sumo – Bem mais doce que as pastilhas Vick, e bem mais secas, além de maiores, eram viciantes. Era só abrir o envelopinho e tínhamos que nos controlar pra não comer de duas ou três de uma vez.

Pastilhas Valda – Sei que ainda existem, mas não lembram as antigas. Aliás, não sei porque chamam de pastilha se eram algo mais pra jujuba de menta. Vinham em uma latinha, com as abas da tampa cortantes, e cortavam mesmo (hoje são em envelopinhos de papel, para os fracos…)! E as pastilhas verdes vinham com muito, muito açúcar. Realmente ardiam, às vezes comíamos mais um pouquinho de açúcar da latinha pra ficar menos ardosa.

Tyrozets – Nem sei pra que servia isso. Eram umas pastilhinhas cor de rosa em uns envelopinhos metálicos (vinham quatro em um envelopinho). Não sei para que serviam, mas degustávamos aquilo como bombons.

 

comments (5)

  • Edyranne Santos Reply

    Nao era so voce que comia cebion, quando crianca. Eu tambem fazia o mesmo e ainda deixava um tempao na lingua, antes de mastigar… Adorava fazer aquilo!!!

  • Havia um medicamento que eu tomava quando criança, quando estava sem apetite, desanimado… Não me lembro como se escreve exatamente o nome, mas era parecido com “Padrack”, um envelopinho na cor amarela com detalhes vermelho (ou seria ao contrário?)… Será que alguém conheceu? Estou atrás de uma foto do “Padrack”; como posso encontrar?

  • Tyrozets era pastilha pra dor de garganta. Uma delícia! Tinha gosto de aniz. E era tiro e queda. Em no máximo meia hora aliviava a dor. Era antibiótica (tirotricina), anti inflamatória e anestásica.

  • Xarope VICKY

    Aquele preto, super doce!
    Acho que tomei um bocado uma vez!

comments (5)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>