Sexta, o fim de um clima, início de outro

Pense em um dia que começa pesado, mas termina leve e, ainda assim, é o terceiro momento mais feliz da semana (só perdendo para sábado e domingo de manhã). Eis que surge a sexta!

É tão significativo como divisor de “momentum” da semana que ganhou até verbo: “sextar”.

Tem uma face boa e uma ruim;

A face boa é que finalmente a história andou pra frente e mais uma semana acabou. estamos vivos e a energia do fim de semana já nos toma. Qualquer momento de sexta é menos cansativo do que qualquer outro dia da semana, pois o cansaço vem sempre com o sentimento de conclusão de jornada, e a vontade de chagar vivo ao fim da jornada nos faz ficar com uma força extra.

É nesse dia que surge o momento onde se ainda se pode concretizar algo que estava marcado para ser concluído essa semana, um último fôlego, um sprint. Se for sucedido, ótimo! Se fecha a semana com chave de ouro!

Ne não conseguir, vem a parte ruim: marca a frustração das metas da semana que não foram cumpridas, e nem adianta deixar para amanhã, pois amanhã é sábado, é um outro mundo de sentimentos; só restando postergar o planejado para a próxima semana.

A noite de sexta tem algo estranho: já é fim de semana, mesmo para quem trabalha aos sábados, então, mesmo se temos que acordar cedo amanhã, tratamos a noite de sexta como se já fosse noite de sábado, se isso não for estranho, não sei que é!

E como normalmente já temos algo pensado para o fim de semana, algo que também toma lugar na sexta é preparamos algo (lugar, algo ou nós mesmos) para o sábado e domingo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *