Início Anos 80 “Gelar” (picolé, sorvete e suco)

“Gelar” (picolé, sorvete e suco)

1775
18

Não havia Kibon, Sorvane, Nestlé ou Yopa. Sorveteria (com carrinhos de venda na rua), em Manaus, só uma: Gelar. Até 82/83, era a Gelar “a” empresa de picolé e sorvete em Manaus.



Ficava no início da Rua Paraíba (ainda se chamava assim). Lá ficava o montes de carro amarelos com tampa azul.

Eram basicamente três produtos: Picolé, copinho e suco.

O Suco (ao qual chamávamos de “Sukito”) era artificial puro (mas gostoso!), o picolezeiro andava com uma faquinha,  cortava a ponta da garrafa e lá estava o suquinho; no começo, beleza… tinha suco, aí ficava um gelo, suco congelado, e  haja paciência pra espremer aquele gelo da garrafa (já amassada) pra surgir algum suco, acabávamos mastigando a garrafa (de plástico mole, transparente) pra conseguir as últimas gotas de suco, isso quando não feríamos as bochechas e língua com aquela garrafa.

Quanto ao picolé, o saquinho era de papel; bastava não estar bem gelado para já melarmos o dedo só pegando no saquinho, quando abria, o meleiro aumentava.

O melhor picolé era o de côco, seguido pelo de milho verde, de açaí e taperebá. Comprávamos os picolés um a um ou em caixas de papelão com furos redondos.

O sorvete era chamado simplesmente de “copinho” (o de milho verde era o melhor), valiam o nome, era um copinho muito pequenininho mesmo; embora tivesse uma versão de caixa maior, “família”, de isopor (mas se o cara se empolgasse comia a caixa todinha sozinho).

Nas festas de aniversário era comum encomendas de carros de sorvete da gelar, era a alegria dos infantes. Escalar aqueles carrinhos e, lá do tampo, conseguir pegar o picolé lá no fundo, era uma arte!

O local onde funcionava a Gelar ainda existe. Lá já funcionou, posteriormente, a Telemazon, uma empresa sei lá do que, e agora está vazio. Fica no início da Paraíba (ou melhor, da Humberto Calderaro), segundo prédio à direita assim que se adentra à via.

<!–IYLT HERE–>

18 COMENTÁRIOS

  1. Prezado Amigo,
    Muito bem lembrado…apenas devo acrescentar que ainda podiamos encomentar latas de sorvete, de vários tamanhos, eraam bonitas, com araras desenhadas e de ferro, o sorvete era muito bom! Lembro ainda que o picolé era grande de um formato retangular, mais bem maior que os de hoje. O suco eu chamava de suquinho, sukito eu chamava um de uma concorrente que não lembro o nome o nome agora, mas que surgiu no final dos anos 80. Ah…e na minha memória a letra do carrinho era vermelha.
    Parabés pelo blog! Abraços, Carlos Almir

  2. Professor, parabéns pela matéria! Sou fã das suas sessões “Nostalgia”, pois apesar de eu não ter tido a oportunidade de viver isso, é sempre gratificante enriquecer o nosso conhecimento, ainda mais quando se trata da cidade em que vivemos.

  3. Engraçado!!! Lembro de ver esses carrinhos da Gelar até início dos anos 90. Agora só não sei se era da empresa ainda, mas o suco típico na tal embalagem até hoje se pode comprar lá pelo centro da cidade.

    • Verdade. Os carrinhos eu também vi espalhado por aí, acho que foram vendidos, mesmo depois da Gelar fechar! Alguns foram pintados (até camelô eu vi usando aqueles carros!), mas outros deixavam como eram mesmo.

  4. Lembro também que a Gelar tinha uns caminhões que corriam os Conjuntos Residenciais de Manaus, vendendo sorvetes a granel, os quais eram tirados de grandes latas e colocados em recipientes de isopor (caixas pequenas, médias e grandes).

    O dia da semanana em que passavam pelo meu conjunto era no sábado e meu pai sempre comprava vários tipos de sorvete.

    Eta época boa!

  5. Professor, lembra da concorrente da Gelar? A Skimel, que também tinha o suquinho congelado e um sorvete de baunilha delicioso.

  6. Estava + ou – 6 anos atrás em uma cidade na venezuela e tomei um suco de laranja com o mesmo sabor, foi nostálgico, lembrei na hora do Tio cortando a ponta da garrafinha plástica com a faca. Voltei lá 2 anos depois e não encontrei. Ciudad de Upata no café que fica no estacionamento do Hotel Andrea

  7. Em Tomé Açú interior do Pará tinha um posseiro chamado pedro Caracas, ele vendia picolé gelar eu gastva de um não sei se era cocô ou creme até hoje nunca achei um sabor como os da gelar era bom demais. Eu ficava alegre quando faltava energia elétrica pois seu Pedro nós dava os picolés que estavam amolecendo,ficávamos torcendo pra energia demora voltar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui