“Até parece que foi sonho” (eBook) [resenha]

Reflexões & Cotidiano

Trata-se de um livro sobre Tim maia.

Comprei esse eBook na Amazon, caro pra um eBook: 16 paus. É curtinho, de leitura rápida. Embora de autoria de Achel Tinoco, dele só li a apresentação e o nome na capa, pois todo o texto é de Fábio, cantor dos anos 70 e amigo de Tim. Constano livro que Achel escreveu, mas quer foi Fábio que elaborou o depoimento para a obra. Ou seja, acho que Achel foi um “Ghost-Writer” sem o “Ghost”, já que o nome dele aparece na capa e na apresentação…

Nota-se pelo texto que tudo ali é decorrente de vivência e envolvimento direto de Fábio com Tim. Não é, portanto, uma biografia isenta, e nem se predispõe a ser, aliás, sequer “biografia” é, talvez por isso seja tão legal.

Conta os bastidores da entrevista no Jô, da falta do programa Chico & Caetano (inclusive explicando o motivo – hilariante – da falta);

Muito do filme do Tim foi baseado NESTE livro, pelo que percebi.

Sobre Tim, precisamos separá-lo em três: o artista, o profissional e a pessoa.

Como artista era gênio nas três frentes: era compositor, grande vocalista (baterista também) e performer-entertainer de palco impecável, assisti à transmissão televisiva ao vivo do show que ele fez em Manaus, no Réveillon de 2004 – inauguração da Ponta Negra, e o cara mandava bem pra caramba no palco;

Coo profissional, era algo bem próximo a um irresponsável, aliás, era um anti-profissional, e não tinha a mínima culpa de ser assim;

Como pessoa (e o livro se foca aqui), era um solitário, problemático, atribulado, instável, alcoólatra, drogado e maluco. O autor conta que, à exceção de umas duas ou três mulheres, todas as que se aproximavam dele era só pra tirar alguma vantagem da imagem ou dinheiro do Tim.

lvtmia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.