Bem, hoje o Brasil saiu da disputa da Copa 2014, perdendo de 7 a 1 da Alemanha. Sobre isso, escrevo esse post-documento, para a posteridade.

Escutei parte da narrativa pela TV, parte pelo rádio. O que eu escutei foi um monte de incoerências…

1 – Pouco antes do jogo, escutei um narrador dizendo “A Alemanha, se chegou até aqui, já provou que está muito bem tecnicamente e sabe jogar!” – E o Brasil, que chegou nas mesmas semifinais, não mostrou não? Chegou lá por milagre? Ou o peso e medida é diferente a depender de qual seleção se refira?

2 – É horrível como, do meio para o fim do jogo, o que eu mais escutei dos narradores foi algo como “eu já sabia”, “desde o início eu achava…” – Como? Não lembro de nenhum deles, antes do jogo, ter certeza alguma de que o Brasil perderia o jogo. Seria isso puro oportunismo de narração?

3 – A derrota foi estranhíssima, é verdade. Sempre vamos nos perguntar se foi a falta do Neymar (afastado desde o último jogo por ter tido uma vértebra fraturada) a responsável pela goleada. Sempre vamos pensar que, se o Neymar tivesse lá, poderia ter feito os gols para igualar e virar o placar;

4 – Já a partir do terceiro gol, começamos a nos convencer que o Brasil perderia o jogo, um narrador disse “Virou passeio!”; EU me pergunto se foi melhor assim ou se teria sido pior perder por bem pouco, na prorrogação ou nos pênaltis. Penso que, já que era pra perder, melhor ter perdido assim, fomos nos preparando já durante o jogo, para a saída da Copa…

5 – O que se questiona agora é se ou qual impacto política haverá para a re-eleição da Presidente Dilma, e para o PT;

6 – Na pior das hipóteses, pelo que leio nas redes sociais, ao menos fruímos de todos os feriados em possíveis jogos do Brasil que caíssem em dias de semana;

7 – Também leio em redes sociais que esperavam mesmo que a Alemanha ganhasse, mas estavam revoltados pela derrota humilhante por tantos gols. Papo! Todos esperávamos é que o Brasil tivesse ganhado mesmo! Não importa o que os pseudo-profetas digam;

8 – Achei errado culparem o dirigente, eximindo a culpa dos jogdores. Vamos inverter: Se tivessem ganhado, de quem seria o mérito? Seria dos jogadores ou de toda a equipe, mas não apenas do dirigente, então porque, na derrota, só ELE tem que ser o culpado? O culparam por, depois do segundo jogo, ele não haver feito alguma substituição,até aí, ok; o problema é colocar a culpa nele pela atuação do time durante todo o jogo!

lisar

 

 

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>