Quando tudo perde a importância em volta. Nós perguntamos, afinal, para que é nossa existência? Havia um sentido em cada coisa, ainda que não soubéssemos exatamente qual e, de repente, objetos se tornam apenas coisas e pessoas se tornam janelas por onde podemos ver nossas próprias fraquezas e frustrações.

Seja o que tenha sido. Nada será igual como um dia tentou ser, talvez porque nunca houve, apenas pensamos que tivesse havido.

A história mostra que, quando pensamos que estamos no leme de tudo, nos tornamos apenas mais uma gota no oceano no qual navega os fatos, e não nos é perguntado para onde ou quando deve partir.

Onde está a grandiosidade que pensamos existir no que sempre acreditamos? Para onde foram as certezas que sempre tivemos? Se nada mais nos dá segurança de algo, é melhor procurar novas respostas, descobrir as devidas perguntas ou simplesmente deixar um dia a após o outro nos levar para um lugar que nunca imaginamos existir.

Não adianta ficar quieto quando sua mente anda em círculos.

E a esperança de que a água esteja calma depois que a onda quebre é o que nos faz ver o sol nascer amanhã, a cada dia.

Amanhã.

comments (1)

comments (1)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>