O que forma uma banda (me referindo ao rock)? Segundo minhas reflexões, duas teorias se sobressaem, que eu as nomeei de “Teoria Personalista” e “Teoria Institucionalista”. Uma das duas teorias explicam determinadas bandas.

Pela Teoria Personalista, uma banda é formada pela união de músicos, a banda é resultado da soma de várias personalidades. Segundo esta teoria, quando muda a formação de uma banda, é como se esta deixasse de existir, sendo a nova formação uma “nova banda”, já que mudou sua personalidade resultante. Os Beatles são um exemplo, embora tenha tido três formações, o mundo só lembra (aliás, quase que só conhece) a última, e é difícil imaginar que trocando qualquer dos quatro ainda seria os “Beatles”, tanto que, após a morte de John Lennon em 1980, todos já sabiam que uma reunião dali por diante seria impossível; até boatos de que a banda voltaria a se apresentar com os filhos de John e George no lugar dos pais existiram e foram rapidamente dissipados. Com o Led Zeppelin ocorre o mesmo: Nenhuma das apresentações ocorridas após a morte de John Bohan (também em 1980) convenceram de que aquilo ali no palco “era” realmente o Led Zeppelin, nunca mais foi a mesma coisa, isso porque foram as personalidades individuais dos músicos que formaram a identidade unificada da banda.

Pela Teoria Institucionalista, a banda é uma instituição, do qual seis integrantes formam a sua matéria. Segundo esta teoria, ainda que mude a formação da banda, ela continua sendo aquela mesma banda, sempre, tendo havido apenas mudança na sua formação, mas não na sua essência. Aqui podemos encaixar o Deep Purple, Yes e Black Sabbath, que mesmo mudando de formação “quinhentas” vezes, continua tendo a aura da mesma banda, parece que existe um espírito, um instituto, um símbolo que, ainda que mudem os integrantes, não se apaga.

Ok, precisamos de um exemplo onde nenhuma das duas explique (Chamaríamos de “Teoria Eclética ou Mista”?): Pink Floyd. A polêmica é eterna: Desde a volta da banda em 1988 sem Roger Waters (seu antigo baixista) que metade do mundo acha que aquilo ali não era Pink Floyd, pois Roger teria levado a magia melancólica da banda embora com ele; metade acha que Roger Waters não fez falta, sua voz chorosa e seu baixo simples teria sido imediata e melhor tocado depois, fazendo com que o Pink Floyd continuasse sendo o Pink Floyd; pelo menos até a morte do Richard Wright. E agora?


comments (1)

  • Realmente, após a morte de Bohan o Led Zeppelin nunca mais foi o mesmo. A performance do cara no palco era ímpar.

    Relativamente ao Deep Purple, a melhor formação é a que conta com Ritchie Blackmore (do Rainbow).. depois o som deles mudou totalmente.

    Black Sabbath sem Ozzy também não é o mesmo, mas compôs boas canções…

comments (1)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>