Hoje, 6 de janeiro, é o “Dia da Gratidão” (vi no Google); ok, também é Dia de Reis; mas como sou destreinado em assuntos religiosos, vou escrever sobre o Dia da Gratidão mesmo!

Gratidão é a união de dois elementos:

1 – RECONHECIMENTO de que alguém realizou algo valioso para você, dando, fazendo ou deixando de fazer algo. (não é por acaso de tal falta de reconhecimento gera algo chamado de “ingratidão”);

2 – Afirmação tácita de que você, quando for instado a tal, operará a RETRIBUIÇÃO por tal feito, ou seja, uma autocolocação em situação de débito (você nunca se questionou porque a expressão de gratidão é “Obrigado!” ?)

É ai que a gratidão se torna perigosa.

Aprendi com minha mãe que “O que não se paga com dinheiro é o que nos custa mais caro”; por isso sou avesso no mais absolutamente possível a pedir qualquer coisa, seja favores ou coisas emprestadas, enfim, qualquer coisa. Gosto de pagar tudo em dinheiro, por mais capitalista e insensível que isso pareça.

Ficar em débito,mormente moral, com alguém, tem duas maldições: é inquantificável e parece algo eterno.

Então, assim como recebi isso dos meus pais, vou repassar aos meus filhos; até porque a oportunidade ou “cobrança” pelo feito pode vir nos momentos ou situações mais imprevistas e indesejadas.

(Só por curiosidade, e para não fugir à seara jurídica de atuação: Ingratidão é causa de revogação de doação, conforme o artigo 557 do Código Civil)

Há uns 15 anos li em uma revista, não lembro qual ou quem escreveu o artigo, sobre algo curioso: Caetano Veloso teria participado de um programa do Ronnie Von; um programa, na Rede Vida, com audiência quase nula (o que chamamos tecnicamente de “traço de audiência”), ainda mais que passava de madrugada! O que teria feito Caetano participar de um programa com tão pouca audiência? Simples: é que décadas atrás Ronnie Von participou de um programa que Caetano apresentou, na época da Tropicália (1969) .

Ser grato é necessário e nobre, mas se deve ir ao inferno e voltar antes de precisar de algo que venha a exigir nossa gratidão (você certamente conhece alguém pidão, é um saco, certo?)

Não dever é liberdade, então a melhor forma de se ser grato é retribuindo qualquer deferência de imediato e, sempre que possível e cabível, em dinheiro.

grt

 

Ah, mas essa gratidão, que não há como se pagar em moeda, eu gosto de ter: OBRIGADO por sua audiência ao EvangeBlog ao longo desses anos! Farei meu melhor para continuar a merecer suas leituras!

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>