Esta simples pergunta já leva a uma nova pergunta: De qual dos valores da ação estamos falando? Sim, pois uma ação possui QUATRO valores diferentes! São os que seguem:

Exemplo de ação (física) preferencial. É a mesma figura que consta no meu livro “Direito Empresarial imprescindível!”

Valor nominal – É o que se obtém dividindo-se o capital social da empresa pelo número de ações. É o mais inútil, na prática, dos valores; sua utilidade é para fins meramente burocráticos, afinal, no estatuto da companhia algum valor deve ser atribuído à ação para fins de registro e documentação!

Valor de emissão (ou ‘preço de emissão’ ou ‘valor de face’)– Quando uma empresa vai vender uma nova ação, é óbvio que ela pretende obter lucro já nesta venda; se o valor nominal da ação for um real, a empresa vai vendê-la por pelo menos uns três reais, assim, terá dois reais de lucro na venda de cada ação. (Tal lucro é chamado “ágio na emissão de ações”).

Valor Patrimonial – É o valor que se obtém quando se divide o valor da empresa pelo número de ações. É o valor real, podendo ser até negativo se empresa estiver atolada em dívidas. É o valor pago ao acionista quando este se retira da empresa por não concordar com alguma decisão em assembleia, e o que é pago aos acionistas em caso de liquidação da empresa. É obtido mediante perícia (chamada “apuração de haveres”), para isso faz-se um balanço especial (chamado “balanço de determinação”).

Valor de mercado – Esse é o valor que normalmente alguém quer saber quando pergunta “quanto vale a ação”. Aqui vale a cotação da bolsa. Não possui parâmetro algum, varia ao sabor das emoções, boatos, notícias e outras flutuações do mercado.

Assim era o pregão da Bovespa até 2009 (chamado “pregão viva-voz”), hoje ele é totalmente eletrônico.

A ideia de escrever esse post me veio devido à Apple. Antes de ontem o valor das ações da Apple caíram pelo simples motivo de ela haver prometido lançar o iPhone cinco e não tê-lo lançado, a informação inverídica lhe saiu caro. E ontem, infelizmente, faleceu o criador da empresa (bom descanso no Oriente Eterno, Steve!), o que fez com que hoje suas ações já abrissem em queda. Ou seja, é o ‘valor de mercado’ o que mais varia e, o que é pior, sem nenhum motivo econômico concreto para tal.

Um dia escrevo sobre os tipos de ações: Ordinárias, preferenciais e de fruição.

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>