Não consegui responder no ar algumas últimas dúvidas (e não consultas, já que nem sei quem pergunta) em minha maus recente participação na TV. Às respondo aqui:

 

“Eu posso acionar o seguro de um parente próximo, em um acidente de trânsito?”

Não. Seguro é personalíssimo. Entendi que você perguntou se pode ser indenizado com um seguro que não é o seu. Bem se esse seu parente acidentou você, e estamos falando de DPVAT, aí sim, você poderia, mas só nesse caso.

 

“Quando não concordo com o valor pago pela indenização, o que fazer?”

Se for indenização fixada judicialmente, só recorrer, e se ainda houver prazo para tal. Agora, se for seguro DPVAT  – não pode discutirm pois é tabelado em lei.

 

“Ficou pendurado no ônibus uns dois metros, ficou com dificuldade de movimentar o braço. Não fez boletim de ocorrência”.

Não precisa boletim de ocorr6encia! Seu problema é outro: provar o que acabou de relatar, se tiver ao menos uma testemunha, lhe caberá reparação. Podemos até admitir que, como se trata de relação de consumo, você peça e consiga inversão do ônus da prova, neste caso, você apenas alega o fato e a empresa “que se dane” para provar que você está mentindo. Em todo caso, “B.O. “ é o de menos nesse caso; tal documento será necessário só se você quiser indenização do DPVAT (o que eu nem aconselho, nesse caso, pois aí não vigerá a inversão da prova a que me referi)

Captura de Tela 2013-08-08 às 22.26.44

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>