Um ensino ideal seria aquele que:

– Se precisasse estudar o mínimo (a informação captada se impregnasse e nunca mais saísse da mente do receptor);

– Conseguisse, não sei como, ser agradável (deixando de ser um mal necessário);

– Não se precisasse fazer qualquer teste ou prova (como cursinho: se houve o alistamento, presume-se que se quis aprender e aprendeu);

– Que não se precisasse ir  prédio de faculdade alguma – tudo estivesse disponível online, a qualquer momento ou lugar;

Resumindo: Que se pagasse caro, mas se aprendesse com pouco (melhor seria com nenhum) esforço.

Eu também não entendo como algo tão antigo ainda existe: várias pessoas sentadas em um sala de frente para alguém que fala, escreve em uma lousa e é transcrito em cadernos. É algo meio idiota, mas… ainda não inventaram um meio melhor. Já houve tempo pior, cheguei a ter aula com professores que, pasmem, ficavam quase o tempo inteiro de aula ditando texto para escrevermos no caderno; pow! Não era melhor levar apostila logo?

Como sou aluno em duas faculdades sei BEM disso, e queria que me testassem menos, e ter menos aula e alguma fórmula magica para eu aprender sem estudar.

Não podemos fazer o ideal (como professores), mas podemos chegar perto: Com aula inesquecível, material fácil e acessível.

Eu tento.

 

 

 

comments (1)

comments (1)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>