No radioamadorismo (sou radioamador Classe “A”- PP8-ME) temos gíria pra tudo. Uma delas é o Câmbio-Espada.

Surgida do “Balaio” (outra gíria radioamadorística, que significa vários radioamadores conversando, onde cada um por vez aperta o PTT e fala algo para todos), o câmbio-espada apertava o PTT e se soltava a falar; e como a frequência era a mesma, alguém que tinha o câmbio travava a frequência para que qualquer outro “macanudo”(“gente fina” em radioamadorês) conseguisse falar algo.

“Câmbio-espada” é falar muito, levando os ouvites ao cansaço, por desinteresse. Tanto é usado para a fala (Isso foi um “Câmbio-Espada”!)  quanto à pessoa (Pow! Aquele coruja já é “Câmbio-Espada”!)

Então, você é um câmbio espada?

Modernamente, esse é aquele que pede e palavra em uma reunião e:

–       Não diz algo relevante (ainda que rápido, mas não relevante);

–       Se fala algo relevante, dá uma volta inteira ao invés de ir direto ao ponto, ou seja: não é objetivo;

–       Se diz algo relevante e é objetivo, ofende-se com qualquer contrariedade ao que diz – é simplesmente o dono da verdade;

–       Ao invés de transmitir uma mensagem, quer ser ouvido como uma necessidade pessoal de que o escutem, ainda que para dizer nada.

 

Sabemos que quando tomamos a palavra, qualquer pessoa presta atenção em nós nos primeiros segundos, movido pela expectativa. Qualquer desvio de olhar ou bocejo, é sinal que você acabou de entrar em um Câmbio-Espada, neste caso, conserte logo a rota ou encerre a fala. Obrigado!

Reação do ouvinte do Câmbio-Espada

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>