Era 1990 quando ouvi o Sr. Paulo, dono da Phonica (empresa de informática) dizer, ao ver um texto em Wordstar em um PC: “O livro só continua a existir por respeito ao livro mesmo, já que tudo pode ser lido no computador, nem existirá mais motivos para se continuar a imprimir algo…”

O tempo passou e ficou provado que, ao menos até agora, ele estava errado.

O Sentimento tátil do livro em papel jamais será superado, pois é algo que movimenta quase todos os sentidos: O tato com o peso e movimento das folhas, o olfato, com o cheiro do papel, a audição com o barulho das páginas, e a visão. Sim, o livro em papel nunca será igualado, sei disso mesmo tendo e—Books à venda na Amazon.

Mas, existe algo, chamado praticidade, que detona o livro em papel.

No meu carro, neste exato momento, deve haver uns 12 livros espalhados por lá. Sob, atrás e entre os bancos, no painel… quando procuro algum tenho que sair varrendo visualmente pra encontrar algum. Uns deles são bem pesados.

E, enquanto isso, no meu iPad tenho aproximadamente uns 300 e poucos títulos em e-Books (e-Books ou eBooks, são livros eletrônicos), mais uns vinte no meu Kindle, e não ocupam o lugar de um livro de papel sequer! Fossem eles de papel, eu precisaria uns 3 carros para levá-los comigo!

Ler livros em papel pode ser um pequeno inferno se você não estiver em algum lugar confortável. E encontrá-los na estante, se estiverem misturados a outros, pode ser coisa pra ninja. Já me contaram que ler livro de papel em ônibus é algo próximo de um tormento.

Isso sem contar que livros eletrônicos (de 99% das editoras) são muito mais baratos do que livros em papel, já que se elimina da cadeia produtiva o papel, a impressão e o frete (meu livro TGP turbinado na livraria custa uns R$ 38,00, pelo que sei; em e-Book na Amazon custa R$ 12,99; por exemplo).

Além de tudo, a aquisição dos e-Books é muito mais rápida e simples. Nada de deslocamentos, carros, ruas, sedex, etc. Basta uns cliques de mouse na livraria virtual e em minutos já se pode ler o escolhido, instantaneamente.

É como o disco de vinil e o MP3: o vinil é muito mais legal, ver a música siando ali daquela coisa girando, mas não é prática. O MP3 está aqui no iPod, no computador, no som do carro, em qualquer lugar.

Não sei se no futuro só existirão novos livros na plataforma eletrônica, mas sei que os meus livros já estão saindo em papel e em e-Books.

Os de papel ainda vendem mais, mas não sei por quanto tempo.

Você, prefere livros em papel ou eletrônicos? Por que?


comments (1)

  • HI

    Não consigo me desprender da minha compilação comentada da 8666/93 e todas afins aqui na minha frente! Eu bem que tento, mas esta tudo tão marcado, hachurado,anotado, rabiscado…indicando que ja passei ou não por aquele mesmo lugar meia duzia de vezes e ainda não aprendi! Aquela história do amor tatil, da memoria que se constroi com olhar…papel forever!

comments (1)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>