Se você não gosta do próprio nome, bem vindo ao clube!

1 – Por alguma razão que simplesmente não sei, nunca gostei de “Marco Antônio” desde que o ouvi conscientemente pela primeira vez, e isso data de 1978 – o som não soa bem; O problema não é com “Marco” ou “Antônio”, gosto desses nomes, o problema é a catastrófica e cacofônica união deles: “Marco Antônio”!

2 – Em 1991 prestei vestibular para engenharia civil da UTAM, a prova seria no Instituto de Educação, os vestibulandos estavam agrupados alfabeticamente, em vários prédios da cidade e… adivinha? O prédio quase todo era de “Marco Antonio”! Ali tive a certeza de que eu era só um na multidão, e não um em um milhão, ou seja: era só mais um portador de nome comum – para alguém com 17 anos isso ainda importa e, por algum outro motivo (ainda me) desconhecido, essa aversão nunca saiu;

3 – Desgraçadamente, as pessoas que eu mais amo me chamam assim – dos outros eu me afasto, mas deles, não; e pior que, mesmo conhecendo minha aversão capital a tal nome, ainda ame chamam assim até hoje;

4 – Desde 1993 comecei a apagar o uso social desse meu nome “Marco Antônio”, foi lá que “Marco Antônio” morreu e nasceu Marco Evangelista; – Esse nome sim, gosto muito, soa bem e é único, a união do meu prenome e último sobrenome: Marco Evangelista! Então, desde 1993 só lembro que eu sou Marco Antônio em documentos oficiais (e, infernalmente, quando as pessoas mais próximas a mim assim me chamam);

5 – Sou avesso e arredio a aproximação de qualquer pessoa que me chama de “Marco Antônio” – Sim, afeta até aproximações sociais e, o que pode ser pior para elas: e se um dia precisarem da minha simpatia?

6 – A parte boa é que tive sucesso quase absoluto em apagar o “Marco Antonio”, só amigos muito antigos, da época de Ida Nelson, ainda me chamam assim. Soube incutir minha única identidade: Marco Evangelista. Esse sim, um nome muito legal!

7- Ah, se você se chama “Marco Antônio”, lamento por você; e perdoe seus pais pela escolha, como já perdoei os meus.

p.s.: Escrevi tanto “Marco Antônio” aqui que fiquei com ânsia de vômito…

 

comments (1)

  • Manoela Figueiredo Reply

    KKKKKKKK que horror professor!! Marco Antônio é um nome bonito!! E o meu, que é Cindhy :O horrível, também quase que consegui apagar totalmente a existencia dele, só poucas pessoas ainda me chamam assim, e o pior, é o meu primeiro nome, então na chamada já viu né? uiahuiahuah

comments (1)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>