Não é só PIB e desenvolvimento tecnológico que determina ser tal país de primeiro ou terceiro mundo.

Estava lendo  biografia do ABBA dia desses.  Benny, vocalista e produtor da banda, dizia que paga impostos altíssimos, mas não se incomoda, pois “via o dinheiro de volta” em serviços prestados pelo Estado.

“Como? Ele disse que não se importa com os impostos altos porque os vê bem empregados? Onde é isso? Na Suécia. Pô, que inveja!” (Sim, o ABBA era uma banda sueca, dãããã….). E não é frescura de ´inveja branca´ não, é inveja mesmo!

Aqui o Brasil a tributação e alta, parte dela vai par a corrupção, e outra para pagar mega salários de vagabundos inúteis que, além de mamar nas tetas estatais, nada mais sabe fazer.

Isso nos prende à qualidade de terceiro mundo, infelizmente. Espero que daqui a uns 50 ou 100 anos possamos tomar as rédeas da república e extirpar esses câncers do Estado.

Sei que nada mudará por décadas, mas deixo aqui mais esse documento para a geração futura para saberem que em 2012 a insatisfação já existia.


comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>