O pagode surgiu para a mídia ainda nos anos 80.

Era um tipo de “samba” tocado sem os requintes do samba que, na época, já tinha até piano no arranjo (vide Benito de Paula e arranjos com orquestra do Agepê).

Isso é samba:

O pagode está para o samba assim como o punk esteve para o rock: foi uma forma mais simples e direta de veicular a mensagem. Assim, pagode se tocava no máximo com um cavaquinho de harmonia, se usando as palmas e percussão para encorpar tudo. ISSO era pagode (ouça Almir Guineto e Lecy Brandão, você entenderá).

Isso é o que verdadeiramente surgiu com o nome de pagode:

Mas aí chegaram os anos 90, a década das distorções. E transformaram uma música em ritmo de samba lento, quase abolerado, romântico; ou escrachavam de vez; e lhe deram o nome de… pagode! Isso mesmo, pagode! Resultado, mudaram o sentido original do “pagode”.

Veja isso (abaixe o volume):

Anos 90, já foram tarde…

cvqq

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>