Já escrevemos aqui sobre o conceito de Pessoa Jurídica; dissemos o que é, mas não dissemos o motivo que justificasse sua existência. Bem, vamos tentar elucidá-lo no presente post.

Quando um grupo de pessoas atuam, sem o instituto das pessoas jurídicas, ficaria impossível saber quem, de direito, atuou. É que se fotografarmos o acordo, deveremos algum do grupo aginido em nome deste. Ocorre que, e o acordo não for cumprido, somente este, que atuou em nome do grupo, seria cobrado.

É difícil imaginar isso, justamente porque estamos acostumados ao instituto das pe3ssoas jurídicas. Mas, tente imaginar que sua comissão de formatura fechou um negócio com o buffet e só o presidente da comissão assinou. Quem será cobrado? Só ele!

Seria, pois, para a sorte da humanidade, existe o instituto das pessoas jurídicas.

Essa pessoa é um novo ente, que congrega em sua existência todos as pessoas que a criou, age simultaneamente como representante destas e como a própria corporificação dessas pessoas. São várias pessoas atuando dentro de uma só!

Agora sim, se um grupo fecha negócio através de sua pessoa jurídica, tudo muda, e para melhor pois, em caso de inadimplemento, a cobrança recairá para esta pessoa jurídica, assim, todos os entes formadores “estarão da reta” para pagar o débito, e não apenas aquele que foi lá assinar na linha pontilhada.

A pessoa jurídica (PJ) é, pois, um ente criado (daí o nome “jurídica”, pois só existe no mundo do direito, e não no mundo físico!) tem autonomia negocial (contrata e distrata por ela mesma) e patrimonial (seus bens, direitos e obrigações são distintas de suas pessoas formadoras). Só excepcionalmente, e mediante vários requisitos, é que a o Patrimônio dos sócios podem responder por dívidas da PJ, mediante “Desconsideração da Pessoa Jurídica”.

Não precisávamos de PJ enquanto nossa sociedade era simples, todos se conheciam e não tratavam em grupos organizados. Como a sociedade, em algum momento da história, ficou complexa, com grupos estruturados de toda a ordem e com várias finalidades surgindo, foi quase uma evolução natural a criação do instituto “Pessoa Jurídica”. Um dia escreverei sobre os diversos tipos de Pessoas Jurídicas existentes.


comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>