Em nosso post sobre jurisdição, escrevemos que a jurisdição é una, mas se classifica por determinados critérios. Naquele post apenas apresentei as classes. Hoje explicamos resumidamente sobre as mesmas:

 

Contenciosa– O conflito existe entre as partes que procuram o Estado-Juiz

Voluntária – Para alguns autores, não existe conflito, e o Estado é chamado para chancelar interesses privados. Para nós, existe conflito, mas não entre as partes (aqui, chamadas de “interessados”); o conflito é criado pelo próprio Estado, que deverá fiscalizar, exigir requisitos, limitar ou condicionar exercício de direitos pelos interessados.

 

Comum – É determinada por exclusão, sendo toda a seara de decisão não-especializada;

Especializada – É a jurisdição da seara trabalhista, eleitoral e militar. Possui estrutura judiciária especializada segundo sua matéria de julgamento;

 

Cível – Se discute questões que, direta ou indiretamente, redunda em matéria patrimonial;

Penal – Se discute o jus puniendi – Poder de Punir – do Estado; é uma jurisdição com vários dispositivos garantistas para seus réus, com exceções a vários princípios clássicos da jurisdição;

 

De direito – É o julgamento efetuado conforme a lei, doutrina, jurisprudência e costume.

De equidade  – É a que opera julgamento conforme o senso comum e convicção informal e íntima do julgador.

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>