Uma das formas de se defender é acusar o acusador, ao invés de refutar o argumento.

Parte da magistratura está acuada. Realmente, “nenhum rato gosta de um gato lhe vigiando.” – Ou seja, quem tem o que esconder, não quer controle, vigilância, NADA!

Quem tem mãos (e consciência) limpa não tem medo do CNJ, simples assim. O óbvio é tão invisível?

Nem a propósito, o Senhor Ministro do STF nos veio com essa:

” Presidente do Supremo rechaça crise: ‘Só uma nação suicida degrada o Judiciário’ ” (Fonte aqui)

 

Ou seja, acho que Vossas Excelências perceberam que a verborragia não estava funcionando, e começam a atacar o acusador.

Assim, já temos ideia de vários argumentos para outros co-medrosos, por derivação:

“Reclamar da polícia é querer tornar a cidade insegura!”

“Duvidar da honestidade dos Senadores é ser contra a democracia!”

“Questionar palavras da Presidenta é ser subversivo!” 

 

Enfim, um dia a história mostrará os motivos de todo esse medo causado pelo CNJ. Aguardemos…


comments (3)

  • Uaaauuuuuu, blogueiro!! Parabéns!!! Super espetacular!!! Falou em CNJ, a galera treme! Vc podia postar a historinha do Huthêmico, não é??

  • Ei blogueiro lindo, parabéns por esses 5 meses de posts diáios, pela sua dedicação e talento, pelo evangeblog em si… Sucesso!

  • Marco Evangelista Reply

    Obrigado, Dra.!

comments (3)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>