Uma turma de faculdade tem identidade própria, distinta das individualidades que à forma.

1-   Pode ser inesquecível, daquelas que deixam saudades na Faculdade quando se formam.

2-   Uma turma pode ser normal, mediana, como qualquer outra.

3-   Pode ser intragável, daquelas que nos faz apenas cumprir o dever de, em sendo pago por hora, fazer o melhor. Reclamam de tudo e produzem nada. E só.

 

De onde surge a diferença?

 

Surge da união das motivações de cada uma.

Uma vez que as pessoas são diferentes, cada um leva para a sua turma a sua história de vida.

 

A – Alguns querem aprender, se interessam, sabem que aquilo é uma passagem e estão já com os objetivos bem definidos.

B – Alguns se esforçam, querem um curso superior e, já que estão pagando, aproveitam pra aprender alguma coisa. “Não reprovando está bom”.

C – Alguns não sabem o que vão cursar, chegam à idade da faculdade e, por falta de opção, escolhem direito. Geralmente alguém paga sua faculdade, e tudo o que precisam é ocupar o banco para não serem reprovados por falta. Estudar? Pra que? Algum colega estuda por ele…

 

Bem, as turmas do tipo “2” ou são formadas por mescla dos três tipos de alunos, ou predominantemente do tipo “B”.

As turmas do tipo “3” são formadas, em sua maioria, por integrantes de alunos “C”.

As melhores turmas, as do tipo “1”, aquelas que geram motivação para qualquer professor enquanto estão na faculdade, e saudade depois que saem, tem predominantemente alunos do tipo “A”.

Não se preocupe se você estiver em uma turma realmente diabólica, pode ser que você, sem saber, tenha dupla personalidade: a individual e a coletiva; essa, talvez, nem você mesmo a conhece – só se olhando de fora para perceber.

 

Detalhe: Não me pergunte qual tipo é a sua turma!

Isso é pergunta para você mesmo responder, ou para sua turma se formular.

 

comments (1)

comments (1)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>