Algumas coisas que você tem convicção que é verdade, mas não gostaria de saber:

  1. Para um banco você é nada, a menos que tenha no mínimo uns R$ 300.000,00  depositados na agência;
  2. Se você tiver pouco dinheiro lá, ou não pagar muitos juros, passará a ser um presente para o banco não te ter como cliente (mas não vão te contar isso);
  3. Se você reclamar, além de inútil, será um inútil chato.
  4. Na ótica do banco, quanto menos você estiver fisicamente na agência, melhor, assim, “Fique fora, use os caixas eletrônicos, não fale com ninguém, mantenha-se invisível”;
  5. Eu poderia enganar você, meu querido blogespectador, dizendo que o Judiciário estará sempre ao seu lado em face do abuso bancário, poderá, desde que você tenha advogado, tempo (audiências), dinheiro (custas) e vontade suficiente para brigar, você tem?

É, a música do capitalismo nem sempre é afinada.

comments (1)

  • Discordo de 2 pontos:

    3. Se você reclamar, além de inútil, será um inútil chato.

    Depende pra quem você reclama, reclamando na Ouvidoria do banco e BACEN muito vezes se é atendido e ao invés de inútil, você se torna bem tratado. Isso se você tiver lógica na reclamação, óbvio.

    5. Eu poderia enganar você, meu querido blogespectador, dizendo que o
    Judiciário estará sempre ao seu lado em face do abuso bancário, poderá,
    desde que você tenha advogado, tempo (audiências), dinheiro (custas) e
    vontade suficiente para brigar, você tem?

    Tempo? no JEC são 2 audiências, conciliação e julgamento, pra que tanto tempo? dinheiro? o advogado pode pedir isenção de custas e receber porcentagem de ganho na ação, vontade suficiente pra brigar? isso meu amigo, quem não tem deveria viver isolado e aceitar ser tratado como gado.

comments (1)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>