(Aviso: Ao final do post se encontra a resposta da SUFRAMA sobre o conteúdo, não deixe de ler.)

Tenho grande carinho pelo calçadão da Suframa, há quase 15 anos corro lá para exercitar. Lá treinei para a São Silvestre, para a Meia-Maratona e para a primeira Archer Pinto que participei, em 1999. O local está esquecido, sucateado. No último domingo resolvi levar a câmera comigo; veja o descaso:

 

Logo depois dos bares começa o pesadelo: é melhor andar com um pé em frente ao outro, pois o calçadão vira corredor de meio metro de largura...
O desleixo começa logo ao lado dos dos bares. É melhor andar com um pé em frente ao outro, pois o calçadão vira corredor de meio metro de largura… (calma, vai piorar)

A questão é bastante delicada, pois o jogo do empurra se faz presente. Neste caso, a questão é técnica: Como se trata de uma “BR”, a conservação é de competência da União. Mas como está em área da Suframa, é esta que teria que promover a conservação do local. Entendo que a competência é concorrente, mas nenhum dos dois institutos cuidou, até agora, da conservação.

Calç_Sufrm (4)
Caixa de drenagem sem tampa (há mais um ano…) obriga você a ser bom equilibrista ou ter o Mestre Ioda como acompanhante, para pode levitar, caso queira continuar a seguir o calçadão.

 

Eu lembro que o ex-prefeito Serafim Correa propôs uma solução: bastaria alguma das entidades firmar convênio com a Prefeitura: arcariam com os custos da conservação e a Prefeitura efetuaria os reparos – ao que percebemos, a solução não foi implementada.

 

Eis que lá pelas tantas o calçadão começa a desaparecer sob a vegetação...
Eis que lá pelas tantas o calçadão começa a desaparecer sob a vegetação…

A parte boa (?) é que já podemos fazer treinamento de trilha, também. 🙂

Calç_Sufrm (10)
Vai desaparecendo e…

 

Calç_Sufrm (11)
…sumiu! Nesse trecho, quase oito metro de largura de calçadão jazem sob o mato.

 

Dá para piorar sim: depois que o mato arrefece um pouco, vira pântano.
Dá para piorar sim: depois que o mato arrefece um pouco, vira pântano.

 

Nem a limpeza pública passa mais pelo local: desde 2009 esse pneu está jogado quase em frente à sede da Suframa.
Nem a limpeza pública passa mais pelo local: desde 2009 esse pneu está jogado quase em frente à sede da Suframa.

 

O asfalto não está muito melhor.
O asfalto não está muito melhor.

É um compromisso do EvangeBlog: Publicarei aqui no corpo do post as palavras de qualquer Orgão Público que queira se manifestar sobre a questão. E caso o calçadão seja recuperado, publicarei novas fotos com a mesma publicidade dada ao problema! Aguardemos.

Quero terminar o post com uma imagem otimista: perto da Bola da Suframa, o calçadão fica bonito. Espero que todo ele fique assim algum dia, novamente.
Quero terminar o post com uma imagem otimista: perto da Bola da Suframa, o calçadão fica bonito. Espero que todo ele fique assim algum dia, novamente.

 

Resposta da Suframa, enviada pelo Sr. Coordenador de Comunicação – CODEC/CGCOM:

 

“Marcos Evangelista,

 

Li sua postagem sobre o calçadão da SUFRAMA e acho importante esclarecer alguns pontos que realmente confundem a maioria da população e blogs sérios como o seu podem ajudar a esclarecer:

1 – A BR-319 agora tem o seu quilômetro “zero” apenas no porto das balsas da Ceasa, ou seja, toda estrada que vai da Bola da SUFRAMA até lá não é mais de domínio federal (um exemplo disso é o radar de velocidade que existe em frente ao Instituto Nokia, que pertence ao Município e não à União)

2 – Desde a década de 70, quando o Distrito Industrial foi concluído, a área foi repassada para o Município, fazendo parte do Plano Diretor de Manaus. Ocorre que, durante muitos anos, a SUFRAMA teve recursos (muitas vezes até superior ao da Prefeitura ) e, por isso, promoveu a manutenção da área. Hoje, com poucos recursos e até mesmo por questões legais (ela não pode atuar em área que não é de sua competência) não faz mais essa manutenção.

3 – Ainda assim, a SUFRAMA conseguiu, no final de 2012, recursos junto ao governo federal para que o governo do Amazonas (através da Seinfra) reconstrua trinta vias do Distrito I e mais três ruas (Aninga, Tento e Miri-Miri) do Distrito II.  A licitação foi vencida pela empresa SOMA, que está com obras em andamento na região.  A ministro João Gonçalves (BR-319), porém, não está contemplada no convênio.

4 – Para que esta liberação fosse feita, a SUFRAMA precisou ser autorizada pela Prefeitura de Manaus, que é a responsável pelas vias. Você pode conferir a autorização na página 3 do Diário Oficial do Município do dia 3 de janeiro de 2013, em http://dom.manaus.am.gov.br/pdf/2013/janeiro/DOM%203080%2003.01.2013%20CAD%201.pdf

 

Enfim, as vias do Distrito, bem como suas calçadas e todos equipamentos urbanos, não podem ser mantidos pela SUFRAMA. O máximo que a autarquia federal pode fazer é tentar alocar recursos para convênios, como fez com a Seinfra. No caso do Calçadão, existem vários outros problemas que a SUFRAMA não pode resolver, como a permissão para uso dos quiosques, o controle do volume das músicas (poluição sonora), a segurança, o uso das quadras de esporte…

Pessoalmente, o que posso lhe dizer é que já vi pessoal da Prefeitura fazendo serviços de jardinagem na área. Espero que o pessoal da Limpeza Pública Municipal também acompanhe o seu blog.

 

Parabéns pela iniciativa!

 

……………………..

Atenciosamente,

 

Fábio Alencar
Coordenador de Comunicação – CODEC/CGCOM

 

Avenida Ministro Mário Andreazza, nº 1424.
Distrito Industrial – CEP: 69075-830 – Manaus / AM
Fone: (92) 3321-7038 – Fax: (92) 3321-7029
facebook.com/Suframa  @suframa”

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>