Os que tem por volta de trinta e cinco anos ou mais correm às léguas quando escutam falar em “Marketing de rede” – eu também corro. Temos um motivo.

Era 1996…

Chegava a mercado um “método revolucionário de ganhar uma renda extra convidando seus amigos para o melhor negócio da terra”. Foi uma verdadeira febre. Um sistema norte-americano com todos os mecanismos de propaganda para gerar a verdade que declarava.

Eu entrei na onda, minha família também (convidada por mim arghh), nossos amigos também.

Como a mesma pressa que a onda veio, sumiu. Só para resumir, dois anos depois estávamos alguns milhares de reais mais pobres cada um.

A frustração foi imensa porque investimos além de dinheiro, tempo e energia; estávamos decididos a fazer a coisa acontecer, e entramos (eu e as pessoas daquela época) naquilo com alma e coração. Ninguém mais quis tocar no assunto, todos se sentiam otários por haver acreditado, e culpados por haverem convidados as pessoas mais próximas; para embarcar na roubada.

Um grupo ganhou dinheiro, sim – o que só aumentou a sensação de que vários perderam dinheiro para enriquecer alguns. É que criavam empresas para implementares eventos (aquela galera da “Pronet” por exemplo, deve estar gastando dinheiro até hoje!) – era daí que surgia o dinheiro de vários “bem sucedidos no negócio”, e não do propagado sistema de “marketing multinível”.

A própria Amway admite o desastre, como podemos ler nessa entrevista do Vice-Presidente da própria empresa, intitulada: “A Amway fez tudo errado no Brasil´”, da revista IstoÉ Dinheiro.

Sei que algo saiu errado, ainda não descobri exatamente o que, já que grandes empresários que eu respeito falam bem do Marketing de Rede, vai ver, o excesso de ganância do grupo inicia da Amway, somada à nossa ingenuidade de ter sido presas fáceis, gerou o insucesso.

Junto com a derrocada daquele grupo de pessoas que acreditaram (acreditamos) no sistema, veio a desconfiança com essa forma de negócio, e a vontade de dar um tiro de bazuca em qualquer pessoa que nos viesse oferecer algum negócio baseado em “Marketing de Rede”.

A isso chamamos “trauma Amway”.

trm-amwDetalhe: Uma das estrelas da “Amway” daquela época, Evelyn Levy (fui a um seminário dela aqui em Manaus, na época), depois resolveu que não mais comeria nada e viveria somente de luz, duvida? Clique AQUI e AQUI.

 

comments (0)

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>